Seu cérebro muda se você come peixe

Com que frequência você come peixe? Saiba como esse hábito pode interferir no seu organismo

FOTO: FLICKR/ CREATIVE COMMONS/ PAUL ASMAN.
Um médico da Universidade da Califórnia em Los Angeles descobriu que comer peixe pode tornar o córtex cerebral mais denso - e um córtex cerebral mais denso está ligado a uma maior resistência a doença de Alzheimer. O Dr. Cyrus Raji é o diretor de uma pesquisa publicada no Diário Americano de Medicina Preventiva que indica que para se beneficiar dos poderes mágicos do peixe contra a doença basta comer carne de peixe uma vez por semana. Sim, uma vez só.

De acordo com o estudo, comer peixe grelhado, assado ou cozido (nada de fritura!) está ligado a uma quantidade maior de matéria cinza nas áreas cerebrais que cuidam da memória e cognição em pessoas idosas e saudáveis. Comer peixe uma vez por semana aumenta a área responsável pela memória e aprendizado, o hipocampo, em cerca de 14%. Não se trata de um tipo específico de peixe - todos pareceram contribuir igualmente, contanto que não o peixe for frito.

"Entender os efeitos do consumo de peixe na estrutura do cérebro é crítico para a determinação de fatores modificáveis que possam diminuir o risco de déficits cognitivos e demência", escreveu o pesquisador, que já publicou outros estudos mostrando as mudanças na estrutura cerebral.

No entanto, nem essa pesquisa nem qualquer outra foi capaz de apontar o que exatamente na composição do peixe causa esse feito. Desconfiou-se de ácidos graxos omega-3, cujos efeitos benéficos pro cérebro já são conhecidos, mas Raji afirmou no estudo que não observou correlação entre maiores volumes cerebrais e níveis mais altos de omega-3 no sangue, por exemplo.