Empreendedor fatura 700 mil com vitamina feita com microalgas

O oceanógrafo Murilo Canova decidiu investir na sua área de formação; criou a Ocean Drop e espera faturar R$ 3 milhões em 2017

Fonte: http://revistapegn.globo.com.

Santa Catarina (SC) - o catarinense Murilo Canova decidiu cedo, ainda na faculdade, que queria empreender. O desafio, entretanto, era inovar na sua área de atuação. Canova é formado em oceanografia e, segundo o jovem, a maioria dos empreendedores da área trabalha em negócios mais tradicionais, como consultorias ambientais. Por conta disso, decidiu trilhar outro caminho: investiu na produção de vitaminas em cápsulas a partir de microalgas. Em um ano, entrou para um programa de aceleração e faturou R$ 700 mil.

Canova conta que a ideia surgiu em 2012, quando Lucas Marder, um dos colegas do jovem envolvido no projeto, estudava as microalgas. Elas são plantas microscópicas aquáticas, consideradas responsáveis pela produção de uma biomassa rica em diversos nutrientes a partir de luz, dióxido de carbono e nutrientes presentes na água. “Vimos um nicho bem específico e uma oportunidade de negócio na área”, diz o empreendedor.

Fonte: http://revistapegn.globo.com.
Como as microalgas são utilizadas para diversos setores, desde tratamento de resíduos até produção de cosméticos, os jovens demoraram a encontrar um foco. Optaram por apostar no mercado alimentício por conta da ascensão do conceito de “superfood”, alimentos conhecidos por conter mais nutrientes do que a média – como é o caso das microalgas. Até tirar o projeto do papel, os jovens passaram por três anos de pesquisa. Em 2015, inscreveram a Ocean Drop no programa de aceleração Darwin Starter e foram selecionados.

Em 2016, lançaram os primeiros produtos da Ocean Drop. São dois tipos de vitaminas em cápsulas. As microalgas são cultivadas fora do país e o produto é finalizado internamente. “A espécie começa na natureza e é finalizada em laboratório. Começa com um modelo de agricultura e termina como uma coisa bem científica”, diz Canova. Um vidro de 240 cápsulas, com duração de dois meses, pode sair entre R$ 99 e R$ 188, dependendo do produto.

A Ocean Drop vende, em média 2500 unidades por mês. Segundo o fundador, a empresa faturou R$ 700 mil no seu primeiro ano de operação. E a projeção para 2017 é fechar o ano com um faturamento de R$ 3 milhões. “Para algumas pessoas isso pode ser algo estranho, mas está crescendo. A alimentação do futuro acontece agora.”