Salmão do Atlântico de criação é destaque em ranking de proteínas

Imagem retirada do artigo "Feed conversion efficiency in aquaculture: do we measure it correctly?".
O salmão do Atlântico cultivado lidera o ranking quando se trata de criar sistemas alimentares sustentáveis ​​e resilientes para o mundo, afirma um novo estudo desenvolvidos por cientistas da Universidade de Johns Hopkins

O estudo teve como objetivo ajudar a analisar a eficiência com que os animais convertem o alimento (ração) em alimento para consumo humano, e descobriu que o salmão do Atlântico de criação está em pé de igualdade com o frango, que é o produtor de proteína animal mais eficiente. 

O estudo sobre "Eficiência de conversão alimentar na aquicultura" foi publicado na Environmental Research Letters

Environmentalresearchweb.org disse que a aquicultura é um setor de crescimento rápido e visto por muitos como uma rota promissora para satisfazer a crescente demanda global por carne. Frutos do mar têm menor conversão alimentar baseada em peso em comparação com animais terrestres, sugerindo maior eficiência de produção. A água desempenha um papel importante, pois a flutuabilidade permite que os peixes gastem menos energia em movimento. 

As descobertas mais recentes feitas por cientistas da Universidade Johns Hopkins mostram que os peixes da aquicultura usam menos recursos do que suínos e gado para produzir proteína animal, quando fatores como a porção comestível do animal e a densidade nutricional da ração são levados em consideração. "A maior parte do nosso trabalho é a importância de usar várias medidas ao determinar a eficiência da produção animal", disse Jillian Fry do Centro Johns Hopkins. "Considero os resultados deste estudo mais relevantes para ONGs, acadêmicos e outras partes interessadas focadas na criação de sistemas alimentares sustentáveis ​​e resilientes", disse Fry, diretor da universidade para Saúde Pública e o Projeto de Aquicultura Sustentável.


Faça aqui o download do artigo "Feed conversion efficiency in aquaculture: do we measure it correctly?" publicado na Environmental Research Letters.