Representação Profissional



Essa página tem como objetivo fundamental informar os Profissionais Engenheiros de Pescas e estudantes do curso de Engenharia de Pesca sobre a importância das entidades de classe. 

As entidades são responsáveis por representar os interesses dos profissionais, sendo importante que após formado, o Engenheiro de Pesca procure sua classe para realizar sua filiação, como também seu registro profissional junto ao CREA. 

  • Representações Profissionais


Federação Nacional dos Engenheiros de Pesca do Brasil - FAEP-BR

A Federação Nacional dos Engenheiros de Pesca do Brasil denominada pela sigla FAEP-BR foi fundada em 26 de junho de 1979 e é a entidade máxima representativa da classe dos Engenheiros de Pesca do Brasil, constituída para fins de aprimoramento, coordenação, proteção, reivindicação e representação legal dos Engenheiros de Pesca, quer sejam como profissionais liberais, autônomos ou servidores públicos. É uma sociedade civil com caráter federativo, de duração ilimitada, de base territorial nacional, limitada esta representação a uma entidade para cada Estado do Brasil, Território e Distrito Federal. Não possui fins econômicos, não distribuindo, em consequência, lucros ou dividendos, com sede e foro na cidade de Brasília, Distrito Federal. 

Associação Brasileira de Engenharia de Pesca - ABEP


A Associação Brasileira de Engenharia de Pesca, com a sigla ABEP, fundada em 21 de setembro de 2007, entidade representativa dos professores e/ ou pesquisadores da Engenharia de Pesca no Brasil, é uma Associação civil, de âmbito nacional sem fins lucrativo, não distribuindo, em consequência, lucros ou dividendos, com caráter científico-cultural, de duração ilimitada, com sede no DEPAQ - Departamento de Pesca e Aquicultura da UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Sua primeira Reunião Geral Ordinária ocorreu em 17 de outubro de 2007, no Auditório Rio Solimões da UFAM em Manaus. Nessa reunião, foi eleita a sua primeira diretoria.


AS ASSOCIAÇÕES POR ESTADO - As AEPs


Alagoas (AL) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Alagoas - AEP-AL

Site: 
Situação: Não sei.
 
End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: FELIPE PEDROSA DE AZEVEDO BARROS

Amazonas (AM) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Amazonas - AEP-AM

Site: 

Situação: Não sei.

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: RENILTON DOS SANTOS SOLARTH



Bahia (BA) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Ceará - AEP-BA

Site: 

Situação: Ativo.

End.: rua Jorge Amado S/N – Bairro: Boca do Rio , Salvador - Bahia
CEP:41705-000 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: ADRIANA MARIA CUNHA DA SILVA 


Ceará (CE) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Ceará - AEP-CE


Site: engdepesca.wix.com/aep-ce 

Facebook: www.facebook.com/aepce
Situação: Em atividade.


A Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Ceará também designada pela sigla AEP-CE, constituída em 26 de Dezembro de 1977, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos.

End.: Rua Visconde de Mauá, 685 – Bairro: Meireles - Fortaleza, Ceará
CEP:60125-160 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: MÁRCIO ALVES BEZERRA

Espírito Santo (ES)Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Espírito Santos - AEP-ES

Site: 

Situação: não Informado.

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: NÃO INFORMADO


Maranhão (MA) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Maranhão - AEP-MA


Site: trade.nosis.com (não oficial)
Situação: Em atividade.

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: JOSÉ BENIGNO VIANA PORTELA

Pará (PA) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Pará e Amapá - AEP-PA/AP


Site: Sem site.
Situação: Sem atividade.

A nível Estadual, a representação que contempla os Engenheiros de Pesca do Estado do Pará e também do Amapá e a AEP-PA/AP. E responsável por representa a categoria profissional do Engenheiro de Pesca, lutando por nosso reconhecimento no mercado de trabalho, tal como garantir o piso salarial; organização e apoio em eventos da Engenharia de Pesca (CONBEP, Semana de Eng. de Pesca e etc.) e entre outras funções cabíveis a entidade.

Associação dos Engenheiros de Pesca dos Estados do Pará e Amapá - AEP-PA/AP foi fundada e legalizada em 1985 tendo como seu primeiro presidente eleito o Engenheiro de Pesca Itálo José Araruna Vieira (in memorian) que presidiu a AEP-PA/AP até 1988. As gestões seguintes a sua fundação não deram continuidade a legalidade da AEP-PA/AP, ficando a AEP-PA/AP existindo de fato, mas não de direito. 

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: NÃO INFORMADO

Paraíba (PB) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado da Paraíba - AEP-PB

Site: 
Situação: Não sei.

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: NÃO INFORMADO


Paraná (PR) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Paraná  - AEP-PR

Site: 
Situação: Ativa.

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: TACIANO CESAR FREIRE MARANHÃO



Pernambuco (PE) - Associação dos Engenheiros de Pesca de Pernambuco - AEP-PE

Site: 
Situação: Ativa.


Associacao Dos Engenheiros de Pesca de Pernambuco é uma empresa de associações cívicas e sociais localizada no Estado de Pernambuco. Esta empresa de capital privado foi fundada no ano de 1979 (35 anos atrás). Associação Dos Engenheiros de Pesca de Pernambuco encontra-se em funcionamento há mais de 22 anos que a expectativa média de vida para uma empresa no Brasil, e há mais de 17 anos que a expectativa média de vida para uma empresa desse ramo de atividade.


End.: Rua Real da Torre , 50 – Bairro: Madalena, Recife - PE 
CEP: 
Fone:(81) 3320-6529 
Email: 
Gestão 
Presidente: SILENO LUIS ALCANTARA


Piauí (PI) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado do Piauí  - AEP-PI

Site: 
Situação: Ativa.

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: EDSON FALCÃO LIMA



Rio Grande do Norte (RN) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Rio Grande do Norte - AEP-RN

Site: 
Situação: Ativa.

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: JOÃO BATISTA CABRAL


Rondônia (RO) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado de Rondônia - AEP-RO

Site: 
Situação: Ativa.

End.: – Bairro: 
CEP: 
Fone:() 
Email: 
Gestão 
Presidente: JOSENILDO SOUZA E SILVA



Sergipe (SE) - Associação dos Engenheiros de Pesca do Estado de Sergipe - AEP-SE



Site: 
Situação: Ativo.

End.:Rua Ananias Azevedo, 539 – Bairro: 
Treze Julho - Aracaju, SE CEP:49020-085 
Fone:(79)3246-4192
Email: 
Gestão 
Presidente: JOSÉ MILTON MOREIRA CARRIÇO



Obs.: Apesar de alguns estados brasileiro não possuir uma AEP, com toda certeza possuir algum tipo de associação ou entidade que represente os profissionais das mais diversas áreas que envolve a Engenharia de Pesca.


  • Registro Profissional 


Conselho Regional de Engenharia e Agronomia - CREA-PA




Site: www.creapa.org.br

Histórico: Com a promulgação do Decreto n° 23.569, de 11 de dezembro de 1933, estava criado o Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agrimensura, com atribuições administrativas. O nome escolhido para a sua presidência foi o do engenheiro Pedro Rouche, nomeado para o cargo pelo presidente da República, Getúlio Vargas. A vice-presidência foi ocupada por Adolfo Morales de Los Rios Filho. Três meses depois, se instalava oficialmente o CONFEA, cuja direção foi composta por, além de seu presidente, seis representantes das associações de classes reconhecidas pelo Governo Federal, e três representantes de escolas superiores. A primeira sessão do CONFEA se realizou, em seguida, na sede provisória da Escola Nacional de Belas Artes, na Avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro. Por isto, a escola é considerada por alguns pesquisadores como o berço dos CREAs. No dia 31 de março de 1934, Adolfo Morales assumiu a presidência.
A Resolução n° 2 do CONFEA, de 23 de abril de 1934, criou os oito primeiros Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agrimensura. Somente o CREA da 1ª Região, com sede em Belém, deixou de ser instalado com a desejada rapidez. Sua jurisdição abarcava os Estados do Pará, Amazonas, Maranhão, Piauí, e, o Território Federal do Acre. Por vários meses, ficou respondendo por seu expediente o presidente do CONFEA, arquiteto e professor Adolfo Morales de Los Rios. Por fim, em 18 de abril de 1936, ocorreu a reunião de instalação do CREA da 1ª Região, já com a presença de conselheiros. Estiveram presentes: Luiz G. da Rocha, Sulpício Cordovil, João Penna, Antônio Celso, Cláudio Chaves e Amyntas de Lemos. Os ausentes foram: Maximino Correa, Bertino Lima e Raimundo Viana. Naquela ocasião, foi lido o telegrama do presidente do CONFEA nomeando Amynthas de Lemos presidente do CREA-1ª Região. Compuseram ainda a diretoria do conselho: Sulpício Cordovil, na Vice-presidência, Claúdio Chaves, na Secretaria, e, João Penna, na Tesouraria.


Foram incluídos na jurisdição do CREA-1ª Região, pela Resolução n° 33, de 4 de novembro de 1943, do CONFEA, os territórios do Amapá, do Rio Branco (atual Roraima) e do Guaporé (Rondônia). Dez anos depois, o CONFEA procedeu à revisão das jurisdições dos CREAs, e, através da Resolução n° 87, de 22 de maio de 1953, incluiu os Estados do Amazonas e do Maranhão na jurisdição do CREA-1ª Região. Vinte anos mais tarde, foi criado o CREA-19ª Região, com sede em São Luís, e jurisdição no Estado do Maranhão, pela Resolução n° 216, de 28 de junho de 1973. No ano seguinte, surgiu o CREA-20ª Região, sediado em Manaus, através da Resolução n° 233, de 30 de agosto de 1974. Sua jurisdição se estendeu pelos Estados do Amazonas e Acre, e, ainda, pelo Território Federal de Rondônia. Finalmente, outra resolução, a de n° 317, de 16 de dezembro de 1992, fez surgir o CREA-AP, com sede em Macapá e jurisdição no Estado do Amapá. Desde 1977, o CONFEA passou a designar os CREAs pelos nomes das unidades da federação, abandonando os números que vinham utilizando.

(Autor do texto: Antônio Paul de Albuquerque, ex- Conselheiro do CREA-PA).


Conselho Federal de Engenharia e Agronomia - CONFEA





O Confea surgiu oficialmente com esse nome em 11 de dezembro de 1933, por meio do Decreto nº 23.569, promulgado pelo então presidente da República, Getúlio Vargas e considerado marco na história da regulamentação profissional e técnica no Brasil.
Em sua concepção atual, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia é regido pela Lei 5.194 de 1966, e representa também os geógrafos, geólogos, meteorologistas, tecnólogos dessas modalidades, técnicos industriais e agrícolas e suas especializações, num total de centenas de títulos profissionais.
O Confea zela pelos interesses sociais e humanos de toda a sociedade e, com base nisso, regulamenta e fiscaliza o exercício profissional dos que atuam nas áreas que representa, tendo ainda como referência o respeito ao cidadão e à natureza.
Em seus cadastros, o Sistema Confea/Crea tem registrados cerca de um milhão de profissionais que respondem por cerca de 70% do PIB brasileiro, e movimentam um mercado de trabalho cada vez mais acirrado e exigente nas especializações e conhecimentos da tecnologia, alimentada intensamente pelas descobertas técnicas e científicas do homem.

O Conselho Federal é a instância máxima à qual um profissional pode recorrer no que se refere ao regulamento do exercício profissional.



"Nossa categoria só terá força política no Brasil quando todos os profissionais se unirem e defenderem a classe, de nada adianta expor sua opinião ou indignação via redes sociais se a classe em si não está organizada" por Aderson Sousa.